Estudos Científicos e Mídia

O comediante John Oliver no seu conhecido show Last Week Tonight, fez uma crítica sobre como são apresentados os estudos científicos na mídia. Por uma parte temos a má Ciência, que seria aquela com uma metodologia duvidosa, a que infere resultados que não são correlacionados ou aquela onde os interesses dos patrocinadores podem influir sobre os resultados, por exemplo. Noutro lado temos a mídia, que as vezes pega um artigo e o descontextualiza de um jeito que já não importam mais os resultados, só o título que eles querem para dar uma notícia, procurando aqueles que são mais sensacionalistas, para chamar mais a atenção.

Como vemos são dois problemas diferenciados. A ciência pode ter problemas de veracidade na hora que a fonte de financiamento do estudo pode influir nos resultados. Para tentar solucionar o problema o melhor é procurar sempre a fonte original e olhar criticamente se a metodologia, objetivos, resultados e conclusões, assim como as mostras, são as adequadas.

Para o problema da mídia a solução parece mais complexa. Os titulares atraentes são mais importantes do que a verdade. El clickbait da tv, por exemplo, essa chamada de atenção de um estudo científico que afirma que tomar chá olhando para a estrela norte é bom para seu pâncreas, é mais difícil de evitar. A mídia tradicional, tv, rádio, ou internet não são só fontes de informação, as vezes podem funcionar também como poderosas fontes de desinformação.

O melhor para tentar evitar esses problemas: competência em informação.

[no vídeo pode colocar subtítulos em várias línguas]

E você, já viu algum estudo científicos desses “estranhos”?